Som e Imagem com mestrado na ESAD

0
176

Escola abre nova formação para alunos de várias áreas

O novo Mestrado em Artes do Som e da Imagem, que vai abrir este ano letivo na ESAD, diferencia-se das ofertas congéneres, pois proporciona “a articulação entre uma formação profissional especializada ao nível das tecnologias audiovisuais e a criação artística contemporânea, como modo de unificar a sua estratégia científica e pedagógica”. Quem o garante é a docente Susana Duarte, coordenadora desta formação, que também pretende promover o desenvolvimento de competências, criativas e técnicas, nas áreas do Cinema e Vídeo, Fotografia e Som.
O mestrado dirige-se a quem quer prosseguir “uma prática artística singular nas artes e nas tecnologias do som e da imagem”, acrescentou a responsável. Susana Duarte sublinha que entre os candidatos se encontram estudantes da licenciatura em Som e Imagem da ESAD, à qual este mestrado pretende dar continuidade. Há também estudantes das áreas de Cinema, Música, Artes Plásticas, Design de Comunicação, Comunicação e Media.
O novo mestrado pretende cobrir um conjunto de tecnologias e de modos de expressão: do cinema e vídeo – seja ficção, documentário, filme ensaio, cinema experimental ou animação – às artes sonoras e à fotografia, passando pela performance e pela instalação.
“Artes do Som e da Imagem” vai contar com 15 docentes das áreas artísticas, teóricas e técnicas do Cinema e do Vídeo, da Fotografia e das Artes Sonoras. A formação conta com presença pontual de convidados, de modo a incentivar o diálogo com artistas, cineastas, fotógrafos, filósofos, antropólogos, sociólogos e investigadores “que vão contribuir para um espaço alargado de discussão, crítica e análise das decisões dos alunos-criadores”, disse a coordenadora. As matérias do curso “foram pensadas a partir da centralidade do projeto de cada aluno-criador e poderá ter a forma de um filme, uma animação, documentário, uma exposição de fotografias ou uma instalação sonora”, disse a docente. Cada estudante será livre de ir buscar a cada disciplina o que mais se adequa para a sua proposta”. O plano de estudos foi desenhado para desenvolver uma visão artística singular e inclui metodologias de pesquisa e processos de escrita, até às estratégias de apresentação, exposição e exibição -passando pelas estruturas de realização e produção -, às necessidades precisas e únicas de cada ‘objeto’ a concretizar.
O ciclo de estudos “garantirá um treino específico de competências profissionais nas tecnologias audiovisuais digitais e analógicas, como meios de investigação, inovação e experimentação sonora, fotográfica e cinematográfica”, rematou a docente. ■