Apesar do contexto de pandemia e confinamento, a associação contabilizou mais adopções do que animais resgatados e apresenta saldo positivo nas contas

A Crapaa – Caldas da Rainha Associação Protectora dos Animal Abandonados apresentou saldos positivos da actividade dos meses de Março a Junho deste ano, marcados pelo difícil período de confinamento.
No segundo trimestre de 2020, foram resgatados pelos voluntários da associação 31 animais. Destes, 14 eram cachorrinhos, provenientes de uma ninhada de 11 e de outra de três.
“A ninhada de 11 cachorros estava escondida em tocas e levou-nos uma semana até conseguirmos ter todos em segurança”, refere a Crapaa, que lamenta a perda de um dos elementos dessa ninhada. Foi, de resto, o único óbito registado neste período pela associação.
No entanto, o número que mais surpreendeu a associação foi o de adopções. Numa fase em que era estimável um maior número de abandonos do que de adopções, 43 patudos da associação encontraram uma nova casa. Isto significa um saldo positivo de 12 animais, assim como um alívio na lotação do abrigo.
Neste segundo trimestre do ano, os donativos à Crapaa foram também superiores às despesas suportadas, ao contrário do que tinha sido observado nos três primeiros meses do ano.
As despesas totalizaram 9.970,12 euros. “Além das despesas normais com as vacinas e desparasitações externas e internas de todos os cães que entraram e que estão no abrigo, foram esterilizados 22 animais”, com um custo que variou entre os 60 e os 100 euros, refere a associação.
“Felizmente, e apesar da pandemia, as pessoas não se esqueceram dos nossos animais e recebemos vários donativos tanto em ração, como monetários”, acrescenta a Crapaa. Os donativos totalizaram 10.524,12 euros. O saldo positivo, próximo dos 550 euros, “ajudou a cobrir todas as despesas a compensar uma parte do prejuízo do trimestre passado”, acrescenta a associação, que agradece a todas as pessoas que ajudaram não só financeiramente, como a passar a mensagem da associação.