Bordalo II fecha FALU com mural urbano com leds alimentado por energia solar

0
106
O morcego gigante de Bordalo II será iluminado todos os dias a partir das 19h00, usando para tal energia solar | Natacha Narciso

Bordalo II encerrou o Falu com chave de ouro, criando o seu primeiro mural onde alia o plástico desperdiçado com a iluminação led

Numa das paredes do parque de estacionamento do Montepio, próximo das intervenções de Eime e de Add Fuel está agora colocado um morcego gigante com vários metros de altura.
A peça de escultura é de Bordalo II, autor que encerra em grande a primeira edição do Festival Artístico de Linguagens Urbanas (Falu) que decorreu desde junho, numa parceria entre a autarquia e a Associação Riscas Vadias.
O conhecido autor transforma os materiais que encontra no lixo em intervenções escultóricas de arte urbana.
“Este é o primeiro mural onde junto plástico e leds”, disse o artista à Gazeta das Caldas acrescentando que, até agora, ainda só tinha feito pequenas peças experimentais no seu estúdio com esta técnica. Este mural, feito nas Caldas, “é uma experiência” que o artista pensa dar continuidade. Para Artur Bordalo é importante que surjam mais iniciativas como o Falu. “É ótimo que nas localidades possa surgir arte na rua, fora das instituições museológicas tradicionais. Acho que é uma mais valia para a Cultura e para a Educação”, afirmou o autor.
Bordalo II escolheu esta parede para instalar o seu morcego por ter “bastante textura” além de possuir “um ar degradado e decadente, algo que eu gosto como superfície para acrescentar ao meu trabalho”.
Conhecido por dar uma nova vida a materiais que foram desperdiçados, Bordalo II considera que “lixo é uma palavra muito vaga” e diz que usa o que outras pessoas desperdiçaram para criar os seus trabalhos. Assim dá “vida” às suas figuras e animais que, muitas vezes, “são vítimas da voragem da vida actual”.
A intervenção está virada de cabeça para baixo e é feita com restos de bidões, de um barril, de um pára choques de um carro, mangueiras, pinos de estrada, tubos de canalização, caixas de fruta e até um capacete de trabalho. Muito do led utilizado também foi reaproveitado. Em breve, será instalado junto à intervenção um painel que vai permitir a captação de energia solar e assim deixar iluminar os leds diariamente a partir das 19h00.
Bordalo II tem projetos nacionais e internacionais. De qualquer modo, apesar de um certo desconforto agora associado às viagens, “não nos podemos trancar em casa para sempre. Com todos os cuidados é preciso reagir e continuar com as nossas vidas”, comentou o artista na passada segunda-feira, 12 de Outubro, enquanto dava os últimos retoques na sua proposta artística, ladeada pelas peças de arte urbana assinadas por Add Fuel e do caldense Eime.

Festivais como o Falu são ótimos pois dão a oportunidade de contactar com arte fora das instituições museológicas

Bordalo II

Este último, que é o curador da primeira edição do Falu, é também autor da sénior que está no exterior dos Silos. nesta edição fez outro retrato que encima a barbearia Tip Top.
Artur Bordalo, 33 anos, escolheu o nome artístico Bordalo II em homenagem ao seu avô, o pintor Real Bordalo que dedicou óleos e aguarelas das paisagens urbanas de Lisboa.
Como o seu familiar Bordalo II frequentou as Belas Artes de Lisboa mas não teve tempo para terminar a sua formação artística pois era nas ruas que tinha que intervir, usando os materiais que foram desperdiçados. Bordalo II, o artista que tem preocupações ecológicas e de defesa do ambiente e do planeta tem dado a conhecer o seu trabalho em festivais de todo o território nacional e também noutros países. A maioria os seus trabalhos foram integrados em festivais de arte urbana e Bordalo II também faz instalações edificadas por encomenda. Segundo Ricardo Romero, elemento da Associação Riscas Vadias, a primeira edição do Falu fica completa com a peça Morcego de Artur Bordalo e espera que a edição de estreia possa ter continuidade. A iniciativa que marca a estreia das Caldas no que diz respeito à arte urbana conta agora com cinco novas intervenções que podem ser apreciadas em vários espaços da cidade. São da autoria de Nuno Viegas, Add Fuel, de Eime, de Aka Corleone e ainda de C’MARIE & EGRITO, a dupla de criativos que foi vencedora da open call.