Latitudes evoca Saramago e enaltece viagens

0
40
Os Urban Sketchers têm sido uma presença no festival, este ano estão em livro

O festival de literatura e viajantes regressa entre 21 e 24 de abril, em diversos espaços da vila

O Latitudes está de regresso a Óbidos, durante quatro dias, e com dezenas de atividades, que vão desde exposições a lançamentos de livros, passando por palestras, workshops, concertos, espetáculos e oficinas itinerantes. A abrir o festival está a inauguração da exposição Sketch Tour PT reload, no Museu Abílio, organizada pelo Turismo de Portugal e que contará com a presença da secretária de Estado do Turismo. Na mostra, malas de viagem gigantes (4 metros de largura por 2 de altura) permitirão “mergulhar” na literatura. Mas esta edição será um tributo a José Saramago, no ano em que se comemora um século do seu nascimento, com um jantar literário sobre o nobel português, a apresentação da edição especial “Viagem a Portugal” e do projeto “Viagem a Portugal Revisited”. Será ainda apresentada a série documental “Viagem a Portugal” com o realizador Ivan Dias.
A conferência “A primeira travessia aérea do Atlântico Sul – 100 anos depois” junta à mesma mesa um comandante da Esquadrilha de Helicópteros da Marinha e um professor dos cursos de pilotagem aeronáutica. Numa parceria com as unidades hoteleiras terá lugar, no Hotel Josefa d’Óbidos, uma conferência sobre turismo literário enquanto produto turístico, e latitudes gastronómicas, com provas de queijos da região Centro e vinhos franceses da região de Alsácia.
Durante o festival será também inaugurada a residência artística Ruy Belo, situada dentro da vila. Os interessados poderão participar em workshops e oficinas de fotografia em Óbidos, de leitura e desenho, ou ainda “dentro de um livro”, para assinalar o Dia Mundial do Livro. Haverá também uma aula aberta sobre a “arte” de escrever sobre o mundo.
A vereadora da Cultura, Margarida Reis, destaca que o Latitudes também terá uma forte presença nas escolas, com workshops, oficinas de literatura e desenho, e da comunidade, como é o caso da exposição do jovem Carlos Viseu, da Amoreira, patente no Centro de Design de Interiores.
De entrada livre (com exceção das oficinas), o evento é organizado pelo pelouro da Cultura da Câmara em parceria com a Óbidos Criativa e Ler Devagar. O certame é retomado, dois anos depois, porque a autarquia pretende “que a chancela Óbidos Vila Literária seja uma realidade ao longo do ano”, explica a vereadora Margarida Reis, acrescentando que o festival permite uma grande proximidade das pessoas e histórias ligadas às viagens. “Para além de querermos promover o evento e dar-lhe uma nova roupagem, é importante a sua concretização depois de um período em que estivemos confinados e não pudemos viajar ou mesmo ver-nos uns aos outros”, concretiza.