Além do livro de viagens, a responsável pela nova marca já tem outros produtos como máscaras e sacos térmicos

A autora do livro “Teresa vai de férias”, dedicado a viagens, sabe bem como se deve promover um destino, pois trabalhou quase três décadas na TAP. Recentemente criou a sua própria marca destinada a dar a conhecer melhor esta zona do país. Organiza percursos que incluem idas à Praça da Fruta, passeios de barco e até workshops onde ensina a cozinhar pratos ligados à sua infância

Teresa Leal lançou recentemente o livro “Teresa vai de férias” onde reuniu textos sobre viagens que fez em vários países. A autora trabalhou na TAP, onde chegou a ser responsável por levar grupos de agentes de viagem a viajar pelos mais diversos países e assim “poderem vender melhor um destino turístico, pois tinham vivido uma experiência inesquecível”. E agora decidiu voltar às origens e lançar uma marca, com a qual pretende mostrar o que de melhor o Oeste tem para quem nos visita.
Escócia, Moçambique, Brasil e vários outros países da América do Sul reúnem-se às experiências que viveu em percursos feitos em Portugal e também na região. Há textos e fotografias referentes a percursos feitos nas localidades da Foz do Arelho, das Caldas, Óbidos e ainda vividas no Mercado de Santana ou nas Salinas de Rio Maior.
“Tenho muitos leitores de outros países”, disse a autora, que tem um tradutor associado à sua página e percebeu que havia muito interesse pelos destinos portugueses. Nas crónicas, Teresa Leal expressa as suas emoções, conta histórias e faz menção a livros e a canções que se recorda relacionadas com as vivências.
E tanto passa para o papel como é especial ouvir gaita de foles numa tarde de Outono, na Escócia como logo a seguir, descreve como foi visitar uma escola no interior de Moçambique. Noutra crónica relembra como experienciou dançar com uma tribo da Amazónia.

Das viagens à marca própria

Em Setembro passado, Teresa Leal rescindiu o contrato de trabalho com a TAP, ao fim de 29 anos de trabalho em vários departamentos.
A filha de caldenses (pai dos Vidais e mãe de Alvorninha) tem casa na Foz do Arelho e apesar de ter nascido em Lisboa, voltou à cidade termal a tempo de ser uma das alunas estreantes nas novas instalações da Secundária Raul Proença. Findo o ensino secundário, trabalhou como jornalista na Rádio Margem. Posteriormente ingressou na TAP e trabalhou em várias áreas, desde a promoção ao marketing, sem esquecer o licenciamento da marca.
Foi através da Gazeta das Caldas que teve “conhecimento da licenciatura em Marketing Turístico em sistema de b-learning”, assumiu Teresa Leal, que se formou na Escola Superior de Turismo e de Tecnologia do Mar, sem saber que, anos mais tarde, o ensino on-line iria passar a ser comum por causa da covid-19.
Mesmo a trabalhar na transportadora aérea e a estudar em Peniche, Teresa Leal foi sempre alimentando semanalmente o seu blogue. Chegou também a colaborar no site de viagens Canela & Hortelã.
O lançamento do seu livro acabou por ser prejudicado pela pandemia pois tinha apresentações previstas para o mês de Março, na BTL, num bar em Lisboa e também na Casa-Museu Dr. Umbelino, na Foz do Arelho, no final desse mês.
O livro – com mais de 200 páginas – foi impresso na Gracal e a capa reproduz uma bicicleta com flores, uma imagem que a autora registou numa visita a Óbidos. Para o desenvolvimento do projecto, Teresa Leal conta com a ajuda dos filhos, de 20 e 22 anos.
Tiago Fernandes, o mais novo, criou o logótipo do projecto de turismo e faz conteúdos de imagem e de vídeo. O filho mais velho, Duarte Fernandes elaborou e desenvolve o site. A capa do livro é da autoria da designer Inês Vicente, namorada de Duarte.

Refeições de antigamente

Além do mais, como tem casa na Foz do Arelho, Teresa Leal começou a contactar com parceiros da área do turismo e, no site, já tem várias propostas para os visitantes e para a comunidade de estrangeiros que vive nesta zona e que quer conhecer melhor o Oeste.
“Vou juntando os parceiros”, contou Teresa Leal, que já distribuiu entre os seus clientes uma pequena garrafa de ginja, uma peça de cerâmica e uma de fruta da região.
Com outros parceiros também já juntou aos seus serviços workshops de cerâmica e também passeios de barco na Lagoa.
“O turismo pode ser usado como ferramenta para a promoção local”, diz a blogger, interessada em contrariar a ideia errónea de que “não há nada para fazer no Oeste”.
A própria autora coordena workshops com os produtos da região, desde a Tomatada, um prato que leva sardinhas até ao Arroz de Frango que se comia na praia. Segue receitas da suas família e finaliza a refeição com uma Salada de Frutas e uma Baba de Camelo.
Teresa Leal tem também a opção de levar os participantes do workshop à Praça da Fruta para comprar os produtos frescos que vão ser cozinhados.
“Através das histórias e dos sabores podemos dar a conhecer um pouco do que nós somos”, referiu.
O conceito de “Teresa vai de férias” já está a ser desenvolvido noutras regiões do país, nas regiões do Sado e na Beira Litoral que estão a ser implementadas por amigas da responsável e que também promovem os produtos e as regiões onde se encontram.
Conta ter também com uma linha de merchandising para venda no site “Teresa vai de Férias”. E já tem máscaras e sacos térmicos com a sua marca.
Teresa Leal vai continuar a desenvolver o seu projecto e, actualmente, marca presença num pequeno espaço físico na Rua Francisco Almeida Grandela, que é a principal artéria da Foz do Arelho. O livro “Teresa vai de férias” está à venda no site da autora e também poderá ser adquirido na loja da Gazeta das Caldas.