Orquestra Juvenil Obidense lança CD amanhã na Casa da Música

0
735
A Orquestra Juvenil gravou o CD na Casa da Música e vai agora apresentá-lo no mesmo palco | João Joares

O auditório da Casa da Música de Óbidos recebe amanhã, dia 3 de Fevereiro, às 17h30, a Orquestra Juvenil da Sociedade Musical e Recreativa Obidense, que irá apresentar em concerto o seu primeiro CD, “Happy Moments”. São 12 faixas, que incluem temas conhecidos do público – como medleys dos Queen, Beatles e Bruno Mars – e que foram gravadas em Maio do ano passado, envolvendo cerca de 40 músicos dos 10 aos 22 anos.

“Happy Moments é a banda sonora deste caminho único percorrido por estes jovens e por todos nós que os acompanhámos”, explica o maestro João Raquel, que dirige a orquestra há cerca de quatro anos.

O CD pode ser definido como “dinâmico, fresco e jovem”, afirma o responsável, sublinhando que inclui temas muito populares como medleys dos Queen, Beatles, Deep Purple ou Bruno Mars. Há ainda três músicas que foram escritas originalmente para o formato de orquestra juvenil. “Penso que vamos surpreender o público com a qualidade do nosso trabalho, até porque pretendemos sempre a excelência”, acrescentou João Raquel, que acredita que Happy Moments será um CD que todas as pessoas gostarão de ter no carro.
A Orquestra Juvenil surgiu como grupo musical em 2010 como um primeiro patamar para os jovens alunos da escola de música da SMRO, que já demonstravam algum domínio técnico do seu instrumento, antes de integrarem a banda filarmónica. Só que o grupo começou a dar cartas e acabou por revolucionar a vida da colectividade, sendo hoje considerado o “grande pulmão” da SMRO.
À medida que foi crescendo em qualidade e em número de elementos, aumentaram também as solicitações desta orquestra, que ganhou o seu espaço e criou a sua identidade. Nos últimos quatro anos, a média anual dos ensaios foi superior a 40 e a dos concertos ultrapassou os 20.
As apresentações musicais têm proporcionado experiências nacionais e internacionais, além do contacto com agrupamentos musicais e maestros diferentes (os jovens já foram inclusivé dirigidos por maestros estrangeiros, espanhóis e italianos).
Além disso, tem sido política da SMRO proporcionar aos seus músicos experiências além dos concertos: “já foram a Lisboa, onde visitaram museus, atravessaram o rio Tejo e subiram ao Cristo Rei, já passaram um fim-de-semana no Porto, onde assistiram a um concerto na Casa da Música e fizeram um passeio pelo Douro”, ilustrou João Raquel, salientando que sempre que vão actuar fora, organizam piqueniques partilhados.
Na opinião do maestro, “esta coesão social que existe entre todos os elementos é muito importante e reflecte-se ao nível da sua própria música”. Isto porque são amigos que se juntam em palco para tocar e essa cumplicidade é notória.
Este é o primeiro CD da Orquestra Juvenil Obidense, depois de em 2016 a banda filarmónica da SMRO também ter apresentado o seu álbum de estreia. “Quando trabalhamos com formações tão jovens é difícil prever o futuro, porque o risco dos miúdos irem embora é sempre maior. É neste sentido que este CD também assinala um momento de estabilidade da orquestra, bem como o seu potencial”, acrescenta João Raquel.
Outro projecto que muito prazer tem dado à orquestra tem sido sua preparação para um concurso internacional de orquestras juvenis, a decorrer em Valência, cujo resultado será conhecido no início de Março.