Quadros do museu de Óbidos “contam” história na primeira pessoa

0
83
A aplicação pode ser utilizada em quatro quadros

No Museu Municipal de Óbidos há uma app que põe os quadros “a falar” e procura atrair novos públicos. De futuro serão trabalhados mais conteúdos

A aplicação (app) de realidade aumentada, está disponível para quatro obras de arte da colecção permanente daquele espaço museológico, dando vida às figuras ilustres representadas, que contam a sua história na primeira pessoa. São eles o Retrato de D. Maria, localizado à entrada do museu, os retratos de Eduardo e Dulce Malta, antigos proprietários do edifício onde funciona, atualmente, o museu municipal, e o Beneficiado Faustino das Neves, da autoria da pintora Josefa de Óbidos.
De futuro, vão ser trabalhados mais conteúdos, uma vez que o “objectivo é trazer uma oferta cultural para completar a visita de circuito que muitos dos nossos visitantes fazem em Óbidos”, explica Bruno Silva, da Rede de Museus e Galerias de Óbidos.

A aplicação pretende chegar a um público mais jovem

De acordo com o mesmo responsável, a aplicação, que resulta de uma parceria entre o município e a Universidade Lusófona, tem como objectivo “chegar a um público mais diversificado e mais jovem” e foi lançada para assinalar o Dia Internacional dos Museus.
O visitante pode descarregar a aplicação de forma simples e começar esta viagem pelo espaço. Para além de ter informações adicionais sobre os diversos museus e galerias que compõem a rede, em português e em inglês, a aplicação permite ainda que os quatro quadros em causa possam ganhar vida em qualquer outra parte onde os utilizadores se encontrem.
“Basta ter a imagem de um dos quadros, seja onde for, e apontar o telemóvel, que as figuras ganham vida”, esclarece Bruno Silva, acrescentando que este “é um aspecto interessante, que pode ser trabalhado a nível pedagógico nas escolas e que acresce mais informação ao nosso visitante”.