Kiko já quebrou recorde de golos no escalão principal

0
181

Ala já soma 10 golos no campeonato. Ferrelense nunca tinha marcado tanto no escalão principal e está a ser uma das figuras do Viseu 2001

A época 2020/21 está a ser muito atípica para a generalidade dos agentes desportivos, mas para Frederico Nunes, mais conhecido no futsal por Kiko, as coisas dificilmente poderiam estar a correr melhor. Com 10 golos marcados em 18 jornadas, o ala está a assinar a temporada mais concretizadora da carreira no escalão principal ao serviço do surpreendente Viseu 2001, equipa que segue no 3º lugar, apenas superado pelos suspeitos do costume, Sporting e Benfica.
Depois de fazer 7 golos na época de estreia entre os grandes, no Fundão (2017/18), o jogador marcou 8 golos nas duas temporadas subsequentes: 2 golos pelo Fundão e 6 pelo Burinhosa em 2018/19 e 8 golos pelo Burinhosa em 2019/20. A dezena de golos torna-se, assim, num recorde pessoal para aquele que se tornou no primeiro jogador do concelho de Peniche a estrear-se na Liga Sportzone.
E qual o segredo para a pontaria afinada? “Creio que talvez a experiência adquirida, porque o foco é sempre o mesmo. Além disso, a aposta do treinador está a ser vincada e as coisas acabam por sair com naturalidade”, frisa o ferrelense, de 26 anos, que beneficia, ainda, do registo pontual dos viseenses no campeonato.

“A aposta
do treinador [Paulo
Fernandes]
está a ser
vincada
e as coisas
acabam
por sair com alguma
naturalidade”

Kiko,
jogador do Viseu 2001

“O individual vem ao de cima por causa do coletivo”, nota Kiko, que considera que o Viseu 2001 está a superar as metas a que se propôs e que passavam, inicialmente, por garantir a presença no playoff.
“Quando assinei esse era o objetivo que nos traçaram. Mas pensamos jogo a jogo. Não nos pediram o apuramento para a Taça da Liga e conseguimos lá chegar, pelo que pensar no jogo seguinte é o que está a fazer o nosso sucesso”, destaca o atleta, valorizando o “valor da equipa” e as “condições de trabalho” que encontrou na cidade de Viriato.
Em Viseu também encontrou Paulo Fernandes, um dos mais titulados treinadores portugueses, com passagens frutuosas pelos dois grandes de Lisboa. Kiko assume que é “muito motivante” trabalhar com o experiente técnico, porque tem uma forma de trabalhar “motivadora para os jogadores”, com “grande exigência”.
Decorridas 18 rondas, o Viseu 2001 segue no pódio e a equipa soma cinco vitórias consecutivas como visitante. A ambição é continuar a quebrar recordes. “Queremos sempre olhar para cima e nunca para baixo. Neste momento, só vimos Sporting e Benfica à nossa frente, mas o fundamental é amealhar todos os pontos possíveis. Se acabarmos a fase regular em 3º lugar será excelente”, nota.

Olhar para casa
Kiko anotou o 10º golo no campeonato na vitória na Burinhosa (3-5), mas não festejou. “É um clube que fez muito por mim, que tem um pouco do meu ADN e só tenho pena de estarem a atravessar uma fase menos positiva”, declara o ala, que acredita que a ex-equipa “tem hipóteses de ficar na Liga”.
Mas foi no Casal Velho, pelo qual fez 59 golos em duas épocas na 2ª Divisão, que despontou e, por isso, também a carreira dos casalenses é acompanhada à distância. “As coisas estão difíceis, mas acredito que serão capazes de atingir o objetivo e evitar a descida”, vaticina o goleador, que é profissional de futsal e, “como tantos outros jovens” talentos tem o sonho de “chegar mais alto na carreira”. “Queremos sempre mais. Estou bem no Viseu, mas sonho com uma chamada para representar Sporting ou Benfica e a Seleção”, remata. ■