Concelhos da região são onde se demora mais tempo a comprar casa no distrito

0
76

Estudo do portal ComparaJá.pt revela que se demora entre 25 e mais de 40 anos para comprar casa de 100 m2 nos concelhos da região com um salário médio, mais do que na capital de distrito

O Oeste é uma região de turismo por excelência, mas a procura que existe por parte de cidadãos estrangeiros tem um custo na inflação dos preços da habitação. Um estudo do portal ComparaJá.pt indica que os seis concelhos do Oeste Norte são onde se torna mais difícil adquirir habitação própria em todo o distrito de Leiria, incluindo a capital do distrito. Em dois dos concelhos, Óbidos e Nazaré, o preço médio do metro quadrado é tão elevado que o prazo de pagamento supera mesmo o limite de 40 anos no crédito habitação.
Segundo o estudo, é no Bombarral que a habitação é mais acessível nos seis concelhos da região. Uma habitação com uma área de 100 metros quadrados demora 25,1 anos a comprar, mais dois anos e meio do que em Leiria. Apesar do preço médio do metro quadrado ser mais acessível no Bombarral (948 euros para 954 em Leiria), na capital do distrito o rendimento médio é mais elevado (590 para 650 euros), o que indica que a verba disponível para liquidar a prestação mensal é inferior, o que obriga a prolongar o crédito no tempo.

Entre Figueiró dos Vinhos e Peniche há uma diferença de 25 anos no prazo de pagamento de habitação semelhante

Nos concelhos de Alcobaça, Caldas da Rainha e Peniche, o tempo necessário para realizar o mesmo tipo de operação situa-se acima dos 30 anos.
Nos dois primeiros concelhos o valor médio do metro quadrado cifra-se perto dos 1200 euros, enquanto o salário médio se situa nos 620 e 635 euros, respetivamente.
Já no concelho de Peniche, o prazo aproxima-se do limite de 40 anos, com o metro quadrado a superar os 1300 euros e o salário médio a baixar aos 607 euros.
Já na Nazaré e em Óbidos o prazo para aquisição de habitação avaliado pelo portal Comparajá.pt ultrapassa mesmo o limite do crédito habitação, fixado em 40 anos. Nestes dois concelhos o valor médio do metro quadrado está inflacionado pelas zonas de maior pressão turística e pelos empreendimentos de luxo, disparando para cerca de 2000 euros, enquanto os rendimentos médios ficam, respetivamente, pelos 582 e os 612 euros.
Segundo este estudo, é nos concelhos do interior norte que é mais fácil adquirir habitação no distrito. Figueiró dos Vinhos é onde o processo é mais rápido, 13,8 anos. Isto significa que entre este e Peniche existe uma diferença de 25 anos no prazo de pagamento de um imóvel com as mesmas características.
O estudo tem em conta um financiamento de 90% do valor de aquisição e acrescenta ao prazo de pagamento do crédito o tempo necessário para juntar os 10% de entrada inicial, de acordo com a taxa de esforço de um casal que recebe o salário médio em cada um dos concelhos. ■