Quiosque da Praça abriu na sexta-feira passada

0
610
Quiosque está aberto todos os dias, excepto às segundas-feiras, dia de descanso do pessoal

Espaço foi requalificado pela empresária Rosário Delgado, que abriu recentemente a pastelaria Gato Preto

 

O Quiosque da Praça abriu na sexta-feira passada, dia 28 de junho, com uma festa com música do caldense Manuel Castelo Branco ao vivo pela noite dentro.
O espaço, que é propriedade da Câmara, foi concessionado através de uma hasta pública à empresária lisboeta Rosário Delgado, que recentemente abriu outro espaço icónico da cidade: a pastelaria Gato Preto, na Rua da Liberdade.
A empresária requalificou todo o quiosque e criou um conceito de decoração que conta com flores coloridas, troncos e luzes, mas também um mural, no interior, da autoria da artista C’Marie. Destaque ainda para um candeeiro em madeira, da Loja do Sr. Jacinto, parceira no projeto de decoração.
“Procurámos espalhar as cores das flores e das verduras da Praça da Fruta, ir de encontro ao espírito da Praça”, esclareceu a empresária. O objetivo é dinamizar o local, mas sem chocar, antes interagindo com ele, em harmonia com a envolvente. “Estamos no coração da cidade das Caldas”, frisa esta antiga assistente de bordo.
A aposta é, obviamente, nos recursos (produtos e pessoas) locais, tirando partido do melhor que existe na região e, em particular, na localização do quiosque (a Praça da Fruta).
No quiosque, “que é um ponto de atração turística, com muita gente a tirar fotografias e já com um pedido para gravar um vídeo de música aqui”, há refeições rápidas, tostas, sopa diária (vinda da pastelaria), mas também bolos (da B de Bolos e de Alexandra Melo) e gelados. Vende-se imperial, sidra, vinho a copo e sumos naturais, aproveitando a fruta da praça. A esplanada, após o fecho do mercado diário, por volta das 15h00, tem 60 lugares.
“Gostava de fazer exposições de arte com artistas locais e também workshops de cerâmica e de pintura”, revelou Rosário Delgado.
O Quiosque da Praça está aberto de domingo a quarta entre as 7h00 e as 22h00 e às quintas, sextas e sábados até à meia-noite. Ao fim-de-semana, nas noites de sextas e sábados, tentam ter sempre música ao vivo.
Com a abertura deste espaço foram criados três postos de trabalho, empregando já cinco pessoas nos dois estabelecimentos. Rosário Delgado contou também que já existem planos dos comerciantes da Rua da Liberdade para dinamizarem aquela artéria, com ideias que vão da possibilidade de receberem espetáculos de teatro interativo e de ter música ao vivo a propostas para decorarem a rua. ■