Sidra do Oeste trouxe medalhas das Astúrias

0
103

No salão internacional, a Sidrada conquistou uma medalha de bronze com a sidra bruta e uma medalha de prata com a sidra de pêra

A Sidrada – sidra do Oeste, venceu dois prémios no Concurso Internacional de Sidras de Gala 2021, em Gijon, nas Astúrias (Espanha).
A Perada venceu a medalha de prata na categoria da Sidra de Pêra, enquanto a Sidrada conquistou o bronze na categoria de Sidra Bruta.
“É bom estar entre tantas sidras internacionais e sidreiros cheios de talento e mestria”, referiu Liliana Nóbrega, da Sidrada, acrescentando que gostam de “bons desafios e de provar que as sidras portuguesas podem estar entre as melhores e ao nível de muitas sidras de qualidade feitas em países onde a tradição de sidra está no seu ADN”.
À Gazeta das Caldas a empresária não escondeu o seu orgulho após esta conquista de duas medalhas, logo no primeiro concurso internacional em que participaram.
A Sidrada é “a prova de que também podemos ter sidras de qualidade em Portugal, produzidas a partir de 100% fruta nacional sem adicionar concentrados, sem corantes, sem aromatizantes e sidras naturais”, referiu.
O concurso contava com duas provas cegas, uma de um júri composto por especialistas e outra pelos próprios sidreiros que participaram na iniciativa. Além da Sidrada foram premiadas sidras de outros dois produtores portugueses.
Liliana Nóbrega deixou ainda um agradecimento à organização do concurso, que contou com mais de 200 sidras de cerca de 70 países, e prometeu voltar já no próximo ano.
A Sidrada foi criada em 2017 por Liliana Nóbrega e Nuno Clímaco. A fruta que utilizam provém do Bombarral, de uma produção da família já em terceira geração.
A sidra surgiu como uma forma diferenciada de aproveitar a fruta de qualidade que seria desperdiçada pelo facto de não ter os padrões normalizados de consumo das grandes superfícies, apenas devido ao seu formato ou à sua cor.
Estes desperdícios são de cerca de 20% da produção anual e atualmente Liliana e Nuno ainda “só” conseguem aproveitar 5%, mas pretendem aumentar esse valor.
No ano passado, a Sidrada produziu cerca de 7000 litros de sidra. Como tudo o que produziram, venderam (e ainda havia mais procura), este ano esse valor deverá ser ligeiramente maior.
O objetivo da marca, que se pauta pelos valores da sustentabilidade, é conquistar o mercado nacional, sendo que também já tem procura no estrangeiro.
“Temos feito edições limitadas, como a sidra de ameixa, e outras novidades estão a surgir”, disse. ■