Alunos mais empreendedores premiados pela OesteCIM

0
260

Mais de uma centena de projetos apresentados. Caldas foi o município mais empreendedor

A ideia de Maria Branco de implementar circuitos para reaproveitar a água dos banhos e lavatórios para ser utilizada nos sistemas de autoclismos (após um tratamento mínimo) foi uma das vencedoras do concurso de empreendedorismo nas escolas da OesteCIM deste ano, cuja final decorreu no dia 7 de maio, na sede da entidade.
Este ano, o slogan da iniciativa era “Cria a tua empresa, lança o teu negócio e leva a taça para a tua escola” e tinha a economia circular como tema para o desenvolvimento de projetos assentes nas ideias de redução, reutilização, recuperação e reciclagem de materiais e energia e foi isso que a jovem fez.
A estudar no 11º ano, na escola secundária Raul Proença, Maria Eduarda criou uma empresa, a Waterflush, que pretende combater o desperdício de água, uma vez que cada descarga de autoclismo são, em média, 15 litros de água potável e que cerca de 30% do consumo doméstico de água se deve aos sistemas de autoclismo.
A iniciativa da OesteCIM e da AIRO destina-se aos alunos dos 1º, 2º e 3º ciclos, mas também do secundário e do ensino profissional, de todas as escolas do Oeste.
No 1º ciclo o projeto “Era uma vez uma bolota”, dos alunos 4º D do Centro Escolar do Carregado, que propõe a fabricação de farinha e a reflorestação naquela zona foi o vencedor. No 2º ciclo, o Trash, de Diana Alves, da Escola Básica de Santa Catarina, foi o escolhido pelo júri. Trata-se de um robô-barco autónomo que recolhe lixo aquático dos rios e oceanos, sem prejudicar os seres vivos. Já no 3º ciclo, as Biogummies (gomas biológicas e vegan), dos alunos do 9ºA da EBI do Carregado, fizeram as delícias do júri.
A Escola Básica de Santa Catarina recebeu ainda o título de escola mais empreendedora ex aequo com a EB do Carregado, com um total de 18 projetos apresentados cada uma. O município das Caldas foi mesmo o mais empreendedor, com um total de 65 projetos apresentados na edição do concurso deste ano.
Esta é uma iniciativa criada no âmbito do Plano Integrado e Inovador de Combate ao Insucesso Escolar – Aluno ao Centro, que procura promover o empreendedorismo e fazer a aproximação de alunos e professores a um conjunto de entidades que promovem o empreendedorismo na região, tais como incubadoras de empresas, associações empresariais, instituições de ensino especializado ou superior e gabinetes municipais de apoio a empreendedores e empresas.
Paulo Simões, secretário executivo da OesteCIM, destacou a importância deste projeto ao “fomentar uma cultura de empreendedorismo, numa altura em que cada vez mais são necessárias estas competências” e salientou que esta “será muito importante no futuro para o sucesso pessoal e profissional”. Depois de uma pausa forçada pela pandemia, o dirigente estava contente por voltar. “Tinha saudades”, confessou, admitindo ainda que tinha “baixas expetativas” para esta edição, mas foi surpreendido, ao ver ser apresentada mais de uma centena de projetos. Por outro lado, Paulo Simões notou que o concurso se enquadra num dos grandes objetivos da comunidade intermunicipal: fazer a transição para uma região digital e verde.
O presidente da Câmara das Caldas, Vítor Marques, presente na cerimónia, afirmou que ao ver estes projetos sentiu que “as nossas terra têm futuro”. ■