Bloco de Esquerda tem novos dirigentes nas Caldas

0
458
Maria João Melo, Ricardo Vicente, Carla Jorge, Francisco Botelho e Arnaldo Sarroeira - Fátima Ferreira

Maria João Melo, Ricardo Vicente, Carla Jorge, Francisco Botelho e Arnaldo Sarroeira, compõem a nova coordenadora concelhia das Caldas do Bloco de Esquerda (BE). As eleições decorreram no passado dia 24 de Fevereiro e contou com duas listas a concurso, tendo vencido a lista A, que assim elegeu três elementos, contra os dois eleitos da B.

 

 

Ao contrário dos outros partidos onde há um presidente ou um porta-voz, o BE assume-se como colectivo, sendo a representatividade partilhada entre os três primeiros elementos da lista, consoante os assuntos em discussão. Esta coordenadora, eleita por dois anos, tem por objectivo impulsionar o activismo nas Caldas e agilizar o trabalho interno. Actualmente a concelhia caldense conta com cerca de 60 militantes, mas os novos dirigentes pretendem promover a participação através de reuniões direccionadas a aderentes e simpatizantes, que poderão integrar actividades em curso e propor outras.
As reuniões de preparação das Assembleias Municipais e de Freguesia, serão abertas e querem também abrir a sede do Bloco ao público.
A nova equipa propõe-se também promover iniciativas públicas de denúncia e resolução de problemas locais e debates para auscultar a opinião da população, nomeadamente em relação à inversão do processo de união de freguesias.
O plano de actividades anual será desenvolvido tendo em conta as propostas de todos quantos queiram contribuir e serão realizadas sessões públicas com vista à audição da população para maior apoio ao deputado eleito no distrito e deputados municipais e de freguesia.
Na moção apresentada, a lista vencedora refere que, através da deputada municipal Carla Jorge, o BE fez já aprovar por unanimidade na Assembleia Municipal uma moção por um Município com Precariedade Zero. É também destacado o trabalho desta activista do bloco na luta pela integração dos precários do CHO.
O BE defende também serviços públicos e de qualidade, comprometendo-se a continuar a lutar pela modernização da Oeste, pelo aumento da frequência do TOMA e sua articulação com os transportes públicos dos concelhos vizinhos. Defende ainda a requalificação e implementação de novos passeios e ciclovias no concelho.
A nova coordenadora concelhia vai também bater-se por um Serviço Nacional de Saúde público e de qualidade, pelo ensino público, promoção da cultura e preservação do património. Pretende dar continuidade à proposta autárquica de criação de um Orçamento Participativo exclusivo para a cultura e a criação de um serviço educativo transversal a todas as instituições municipais, assim como a criação do Conselho Municipal da Cultura.
Os assuntos ambientais há muito que são uma bandeira do BE e irão continuar a ser, nomeadamente a Lagoa de Óbidos e os contratos de prospecção para a extração de petróleo em terra.