CHL cria equipa domiciliária para cuidados paliativos

0
67
Lacerda Sales regressou a “casa” para participar no 1.º aniversário da unidade

Cerca de 300 doentes passaram, durante um ano, pela Unidade de Internamento dos Cuidados Paliativos, em Alcobaça. O próximo passo é a criação de uma equipa comunitária ao domicílio

Um ano depois da inauguração da unidade de internamento dos cuidados paliativos do Hospital Bernardino Lopes de Oliveira (HABLO), em Alcobaça, já por ali passaram cerca de 300 doentes. A equipa de profissionais pede, agora, meios para a criação da equipa domiciliária de suporte em cuidados paliativos.
“Somos uma referência, não só a nível hospitalar, mas como unidade, porque o que fazemos é cuidar. Não olhamos para a doença, olhamos para o doente e para a família”, sublinhou a diretora do Serviço de Cuidados Paliativos do Centro Hospitalar de Leiria (CHL), na passada terça-feira, na sessão comemorativa do 1º aniversário daquela estrutura. “Queremos continuar a crescer. O próximo projeto é a equipa domiciliária, primeiro em Leiria e depois em Alcobaça. Para isso, são precisos recursos humanos”, acrescentou Catarina Faria, dirigindo-se ao secretário de Estado Adjunto e da Saúde, presente na iniciativa.
“A área dos recursos humanos é muito difícil, o Governo terá de olhar para esta área com redobrada atenção”, admitiu António Lacerda Sales. O governante lembrou que será aberto “um concurso para vagas carenciadas”, considerando ser “uma oportunidade para reforçar esta unidade”.
Ao presidente do Conselho de Administração do CHL coube apresentar números: “Este serviço tinha como objetivo tratar 250 doentes por ano. O objetivo foi claramente atingido e ultrapassado, tratando cerca de 300 doentes no primeiro ano de atividade”. Foram ainda ultrapassadas, em 2021, as 6.300 consultas e as sessões de hospital de dia mais do que triplicaram, chegando às 1.810. “Com este serviço conferimos e ganhámos dignidade assistencial a doentes altamente vulneráveis, que passaram a ter uma assistência multidisciplinar, com elevada preparação técnica e grande sensibilização para a humanização dos cuidados”, sublinhou Licínio de Carvalho.
A unidade foi inaugurada a 19 de março de 2021 pela ministra da Saúde, Marta Temido, após um investimento de cerca de 680 mil euros, cofinanciado em cerca de 157 mil euros pelo Programa Portugal 2020, e em 75 mil euros pela Câmara de Alcobaça. A unidade possui 12 camas, distribuídas por 10 quartos, espaços de trabalho para os profissionais, sala de tratamentos, zona de limpos e sujos, refeitório e sala de convívio e de atividades.
O Serviço de Cuidados Paliativos do CHL conta com uma Equipa Intra-Hospitalar de Suporte em Cuidados Paliativos desde 2017, com suporte e consultoria aos diversos serviços de internamento, consulta externa e Hospital de Dia, e, desde 2021, com uma unidade de internamento no HABLO.