Crianças do Avenal criaram mural alusivo aos 50 anos do 25 Abril

0
241
O mural foi inaugurado, com a presença dos alunos, um dia antes do encerramento das atividades letivas

A obra de arte, que envolveu todos os alunos da escola, foi coordenada pelo artista Bruno Prates

A Escola Básica do Avenal tem mais cor. Cerca de 190 alunos, do primeiro ao quarto ano, elaboraram um mural, sob a coordenação e supervisão de Bruno Prates, comemorativo dos 50 anos do 25 de Abril. A inauguração decorreu na passada quinta-feira, 27 de junho, com a presença da direção do agrupamento de Escolas D. João II e a União de Freguesias de Nossa Sra do Pópulo, Coto e S. Gregório e das crianças, que entoaram cantigas de intervenção, como a Gaivota e Grândola Vila Morena.
Com cerca de sete metros de comprimento por perto de dois de altura, o mural fica situado no pátio da escola, com a particularidade de ser visível do seu exterior.
Tudo começou com as crianças a desenhar o que representava, para elas, o 25 de Abril de 1974. Depois foram selecionados alguns, dos vários anos de escolaridade, e organizados por Bruno Prates. Os meninos voltariam a participar, pintando o mural, onde pode ser visto o povo que saiu à rua, os militares e os seus tanques, o quartel do Carmo, entre outras referências ao acontecimento, que marcou o início da democracia no país.
“Daqui por 50 anos, quando se festejar o centenário do 25 de Abril, irão passar e recordar que pintaram este mural em conjunto com os colegas e professores”, salientou o coordenador do estabelecimento de ensino, Abílio Sabino. Dirigindo-se aos alunos, realçou que a “liberdade tem de conquistar todos os dias. Todos os dias temos de dar o nosso contributo, sendo bons alunos, bons cidadãos, para que ela possa ser cada vez mais forte”.
Também presente na inauguração, o “artista residente” e pai de um aluno daquela escola, Bruno Prates, exortou as crianças a deixarem sempre a sua marca ao longo do seu percurso escolar. “É importante deixarem uma marca positiva, que alguém se lembre sempre de vocês, daquilo que fazem e do que são capazes de fazer. Esta escola nunca mais vai ser a mesma, pois vai sempre lembrar-se de vocês”, disse, destacando também o papel dos professores. Recordou-lhes também que teria a mesma idade que eles quando começou a desenhar em casa, com a ajuda dos pais. “Encontrei no desenho o meu refúgio, onde me sinto confortável, onde não tenho receios. Espero que também vejam o desenho como uma coisa positiva”, disse, acrescentando que pintar uma parede “não é nada marginal” se for feito com um projeto. “Pintar uma parede só é considerado uma coisa má se for feita sem autorização de ninguém, e este trabalho teve a autorização da Câmara e dos professores”, concretizou. Neste caso concreto, também a União de Freguesias apoiou, com a disponibilização das tintas e da madeira.
Na EB do Avenal a efeméride tem sido comemorada ao longo do ano com várias iniciativas, entre elas a presença de um militar de Abril, ligado às telecomunicações, que partilhou a sua experiência. ■