Mais de 12 mil livros enviados para Cabo Verde

0
319
O Centro Comunitário da Benedita recebeu os mais de 12 mil livros, provenientes de ofertas particulares e instituições locais

Angariação vai apoiar a criação de várias bibliotecas escolares na Ilha de S. Vicente

 

Já terá chegado, por estes dias, a S. Vicente (Cabo Verde), o contentor carregado de livros, que partiu de Portugal a 19 de junho. As cerca de 12600 obras de literatura infantil e juvenil angariadas integram o projeto “Ler é abraçar o Mundo”, promovido pelo Camões – Centro de Língua Portuguesa no Mindelo, Universidade de Cabo Verde (UNI-CV) e Delegação de Educação, que tem por objetivo criar e melhorar as bibliotecas de escolas que acolheram, este ano letivo, os estudantes de Estágio Pedagógico do 4.º ano do Curso de Estudos Cabo-Verdianos Portugueses daquela universidade.
A angariação dos livros decorreu na Benedita, de onde é natural a professora e investigadora da Uni-CV, Inês Silva, também responsável pelo Centro Camões e supervisora do estágio dos estudantes do 4º ano. Através de um pedido feito nas redes sociais, em fevereiro último, a docente apelou à doação de livros em bom estado e publicações técnicas, destinados aos alunos do básico e secundário da Ilha de S. Vicente. Em cerca de quatro semanas, o Centro Comunitário da Benedita recebeu os mais de 12 mil livros, provenientes de ofertas particulares, mas também de instituições locais, como o Externato Cooperativo da Benedita, Agrupamento da Benedita, Centro Social e Paroquial, Associação Barafunda e Universidade Sénior. A onda solidária estendeu-se a estabelecimentos de ensino dos territórios vizinhos, nomeadamente das Caldas da Rainha.
Um número tão elevado de livros permitiu passar da ideia inicial da criação de duas bibliotecas em escolas do ensino básico e melhoria do acervo literário da biblioteca da Escola Técnica, para uma rede de três ou quatro novas bibliotecas e o aumento do acervo da biblioteca já existente. A resposta tem-se feito também sentir com a ajuda de tinta, mobiliário, entre outros elementos necessários. “Será o início, a continuar no futuro, certamente”, referiu Inês Silva à Gazeta das Caldas.
O projeto contou com o apoio de diversas empresas, que asseguraram o transporte dos livros doados, tanto em Portugal, como até Cabo Verde, por barco, bem como de entidades e particulares. “A ação de solidariedade que se gerou é a prova de como se continua a encarar a promoção do livro, da leitura e da literatura no mundo – um dos pilares de desenvolvimento das pessoas, do seu crescimento intelectual, autonomia, espírito crítico e, consequentemente, liberdade”, salienta a responsável.
Inês Silva iniciou funções de professora auxiliar da Universidade de Cabo Verde em outubro do ano passado, acumulando as funções de docente com as de responsável pelo Centro de Língua Portuguesa de Mindelo, a partir do dia 4 de março.
Inês Silva há uns anos já tinha participado numa recolha de livros para Moçambique, no âmbito das suas funções como autarca em Alcobaça, e embora agora não estejam previstos outros projetos solidários, realça que “as portas para trabalhar em equipa, em prol das comunidades, aqui ou noutros qualquer lugar do mundo, estarão sempre abertas”. ■