Mais de mil utentes e funcionários de lar vacinados esta semana em Alcobaça

0
304
Maria Teresa Silva, de 94 anos, e a residir no lar do Centro Comunitário Pastoral José Nazário desde 2016, foi a primeira a receber a vacina contra a covid-19

A campanha de vacinação no concelho começou logo na segunda-feira e prolongou-se durante toda a semana.

Pouco passava das 18 horas de segunda-feira quando Maria Teresa Almeida e Silva, de 94 anos, recebeu a vacina da covid-19. É a utente mais idosa do Centro Comunitário Pastoral José Nazário (que integra o Centro Social Paroquial de Alfeizeirão), localizado no Casal Pardo, e a primeira residente em lar a ser vacinada no concelho de Alcobaça, onde a vacinação se prolonga durante esta semana.
O início da vacinação estava marcado para meio da tarde, mas a vinda da vacina de Lisboa, num veículo especial até ao Centro de Saúde das Caldas e depois o transporte, devidamente acondicionada e acompanhada pelas forças policiais até ao destino, e a necessidade de preparação no local, atrasaria o processo.
Na instituição, a expetativa era grande. Até à data ainda não se registou qualquer caso positivo entre os 28 utentes e 21 funcionários, o que leva Maria Marques, vice-presidente da Direção, a realçar a esperança nesta forma de combate à pandemia. A nonagenária foi a primeira a ser vacinada, mas o seu exemplo foi seguido por todos os utentes da instituição e mais de metade dos seus colaboradores.
“Para estas pessoas com uma idade avançada e que nunca tinham passado por uma situação do género, é difícil de aceitar o confinamento”, mas a vacina também lhes vem dar “a esperança de poderem voltar a conviver com as famílias”, explicou Maria Marques.
As vacinas foram administradas pelas enfermeiras Paula Castro e Cristina Trindade, da USF de Tornada, que também já vacinaram colegas, no Centro de Saúde das Caldas da Rainha.
“É um momento histórico na nossa vida. Estamos prontas, queremos é vacinar o mais rapidamente possível”, contaram as profissionais de saúde, realçando a importância deste meio de combate à pandemia. Sobre a vacina destacam, além da particularidade do transporte, a preparação, que exige uma “manipulação muito suave, com muita técnica e uma diluição específica para não comprometer a qualidade”. Cada ampola é diluída e permite seis doses.
Ainda na segunda-feira foram vacinados os utentes e funcionários do Lar Chalé Regalar (Pataias). A aguardar por uma data para a vacinação estão instituições onde se registam surtos de infeção, como é o caso do Lar d’Aldeia (Benedita) e Santa Casa da Misericórdia da Benedita, Santa Casa da Misericórdia de Alcobaça, lar residencial de Évora de Alcobaça, Centro Cénico da Cela e Solar de Cister (Vestiaria).
De acordo com o presidente da Câmara de Alcobaça, Paulo Inácio, no total, deverão ser administradas mais de 1600 vacinas aos utentes e funcionários de lares do concelho. O autarca está otimista com a vacinação, que vê como uma esperança para todos. “Esta gente é altamente prioritária, quer os utentes que são os mais fragilizados quer os funcionários para tomarem conta deles”, concluiu.

Vacinação decorre no Oeste Norte

Depois de na semana de 11 a 16 de janeiro terem sido vacinados os utentes e funcionários de lares e instituições de acolhimento em Óbidos e Peniche, esta semana a vacinação prosseguiu nos restantes concelhos do ACES Oeste Norte (Caldas, Alcobaça, Nazaré e Bombarral). De acordo com a diretora do agrupamento, Ana Pisco, são “vacinados os residentes e funcionários das instituições residenciais indicados pela coordenação nacional”, estando a ser recebidas as vacinas semanalmente, consoante os contingentes disponibilizados a nível nacional. A responsável salienta que as equipas do ACES flexibilizam-se para administrar todas as doses recebidas, de acordo com a exigência dos cuidados na administração da vacina.
Nas Caldas da Rainha o processo arrancou durante a semana. No Bombarral estava previsto a campanha de vacinação inicial a 21 de janeiro em oito instituições, num total de 214 utentes.
Na Nazaré a autarquia aguarda o agendamento por parte do Aces Oeste Norte para dar início à vacinação, que ocorrerá em quatro Estruturas Residenciais para Pessoas Idosas, entre elas a residência da Cercina. Serão vacinados 139 utentes e 98 funcionários. A vacinação não deverá decorrer num lar, que está atualmente com um surto ativo.
No que respeita à segunda toma da vacina, deverá decorrer durante a próxima semana para os primeiros profissionais vacinados, de acordo com os critérios definidos pela task force. Está ainda “previsto o início da vacinação de utentes do grupo definido para esta fase no início do mês de fevereiro”, informou Ana Pisco. ■