Mural “Janelas da Liberdade” homenageia 25 de abril

0
229

O mural “Janelas da Liberdade”, que homenageia a “Revolução dos Cravos” e questiona o papel da democracia na sociedade atual, foi inaugurado a 13 de junho, na Sala de Processos do Agrupamento de Escolas Rafael Bordalo Pinheiro (ESRBP). Tratou-se de um projeto colaborativo iniciado por três turmas do 9º ano e do grupo “Promotores da Cultura”, sob a orientação da artista professora Ana Maymone, em parceria com a artista residente Amábile Bezinelli, do Programa Nacional de Promoção do Sucesso Escolar, a professora Cecília Correia, coordenadora do Projeto Cultural de Escola no âmbito do Plano Nacional das Artes, e o professor Luís Militão. O mural cresceu para envolver toda a comunidade escolar, que contribuiu com sugestões, reflexões críticas e execução gráfica.
Os professores de História Rute Carvalho e Rui Correia, e Matilde Malheiros, do Museu da Resistência em Peniche, marcaram presença na inauguração e conversaram com os presentes sobre a “liberdade como uma luta constante”.
Este trabalho, que interligou artes, cidadania, história e geografia, apresenta uma reflexão histórica, iniciando-se com o período do Estado Novo, destacando a censura e a opressão sentidas sob a ditadura de Oliveira Salazar. As janelas físicas incorporadas no mural simbolizam a transição para a liberdade, que começou com a tentativa de golpe militar do 16 de março, nas Caldas da Rainha, e culminou com a Revolução dos Cravos, em 25 de abril de 1974, derrubando a ditadura de forma pacífica. Para além disso, o mural destaca conquistas subsequentes, como o acesso à educação pública e a luta contínua pela igualdade de género.
As janelas físicas incorporadas no mural correrão mundo, para levar à comunidade o desafio de refletir sobre as temáticas em causa. O primeiro lugar da exposição foi o Bazar à Noite, a 22 de junho. ■