Terra Mágica das Lendas, a guardiã do património

0
20
Lúcia Serralheiro é o rosto da associação

Cooperativa tem-se assumido nos últimos anos como guardiã do património material e imaterial da Benedita

Fundada em 2006 por um grupo de professores do Externato Cooperativo da Benedita, a Terra Mágica das Lendas é uma cooperativa que tem procurado preservar o património material e imaterial da vila da Benedita.
Segundo Lúcia Serralheiro, da direção da cooperativa, este é um local que vive de costas voltadas para a sua história. “É uma vila que não queria recordar o seu passado, estava focada no amanhã e vive numa bolha virada para o futuro e para o empreendedorismo, mas sem passado não há futuro”, realça.
A associação tem organizado festivais de contos, encontros de poesia, eventos de street poetry, tertúlias, conferências, entre outros eventos. O concurso de fotografias foi uma das mais marcantes, com a participação de 256 fotografias. Um dos mais recentes foi a edição das “Memórias da Benedita até 1947”. Outro foi o Beautiful Benedicta que se concretizou na realização de percursos com pontos de interesse.
Simultaneamente está a ser desenvolvido com a Santa Casa da Misericórdia da Benedita um projeto sobre as memórias da Igreja Velha da Benedita.

A mudança de sede
A Terra Mágica das Lendas já está na nova sede da cooperativa, na Casa das Associações, perto do mercado e da unidade de saúde.
Trata-se de um investimento do poder local, num edifício para albergar associações do concelho, como esta e também o clube Rotary local. A mudança ainda não foi oficializada e a sede ainda não foi inaugurada, mas esse é um acontecimento que está para breve.
O espaço tem a particularidade de ter uma sala para a associação, mas também uma sala de reuniões que será utilizada para eventos, assim como um pátio interior, ao centro. “Estamos muito contentes por estar nesta casa, porque temos vizinhos, podemos partilhar”, conta-nos.
As receitas da associação são baseadas no apoio de cerca de 1600 euros anuais que a Câmara fornece, e nos patrocínios e doações que conseguem angariar. ■

Associação tem organizado festivais de contos, encontros
de poesia e tertúlias

 

O espólio de Fernando Maurício
Atualmente a associação está a trabalhar na digitalização do espólio de Fernando Maurício, um curioso beneditense, um apaixonado pela história local e alguém a quem é necessário recorrer se se quiser traçar o passado da Benedita. O investigador de temas históricos tem um vasto espólio de obras publicadas e documentação recolhida, que ajudam a perceber a história da vila.
A TML contou com o trabalho de duas estagiárias que se dedicaram à conservação dos 21 dossiers de informação relacionada com a Benedita que o curioso investigador foi recolhendo ao longo da vida. São milhares de recortes de imprensa, estudos académicos e outros materiais que são importantes para um arquivo sobre a História beneditense.
O espólio já está inserido em catálogos, segue-se a digitalização, para posterior disponibilização online. “Temos contado com a ajuda do Externato Cooperativo da Benedita para esse trabalho”, contou.
Atualmente a Terra Mágica das Lendas conta com 36 sócios e já está focada na celebração dos 500 anos da Benedita, em 2032.
Para tal, há duas linhas que estão a ser seguidas como objetivos principais: o primeiro passa pelo envolvimento das comunidades vizinhas da Benedita, como Santa Catarina, Alvorninha e Turquel. O segundo passa pela inclusão na Rede Cultura Leiria 2027.
No futuro da associação um dos grandes desafios passa por articular o amadorismo e o voluntariado com o profissionalismo, criando parcerias com universidades e recebendo estagiários para ajudar neste trabalho.
Lúcia Serralheiro é crítica da gestão do património material e imaterial da Benedita e por isso defende a criação de uma Casa de Memórias. “Se houvesse um Orçamento Participativo eu apresentava esse projeto”, disse a responsável. ■