Cyberbullying. Sabe o que é?

0
61

O que é o Cyberbullying? Um termo estrangeiro, cada vez mais na “moda”, que se usa quando um menor de idade, acusa outro menor de ameaças, insultos, coações, chantagens, humilhações ou calúnias. Para isto, faz uso das novas tecnologias de informação e comunicação, sejam elas por telemóvel, computador ou tablet, usando a internet, redes sociais, aplicações de mensagens instantâneas, entre outras.
As vítimas e os acusados são usualmente de idades similares e com algum grau de relação ou contacto no mundo físico. O cyberbullying representa uma ameaça clara para a criança ou adolescente, podendo criar situações de risco físico e mental. O que começa muitas vezes por uma piada, pode acabar em tribunal, podendo mesmo chegar a ser considerado um delito com repercussões legais. Por exemplo, um adolescente que envia mensagens cruéis através do Whatsapp, faz um post insultando alguém no Facebook, ou publica uma imagem ou um vídeo desrespeitoso no Instagram.
Quais os sinais a que devemos estar atentos? A maioria das crianças e adolescentes vítimas de cyberbullying não denuncia a situação, por medo ou embaraço, no entanto é importante estarmos atentos a certos sinais, como: mostrar-se perturbado durante ou após a utilização do telemóvel/ computador/tablet; mostrar-se nervoso e ansioso sempre que surge uma nova mensagem; andar triste, ansioso, zangado, preocupado ou alheado da realidade; mudar de humor, comportamento, sono ou apetite, sem justificação aparente; fazer da sua vida digital um segredo ou tentar protegê-la a todo o custo; entre outros.
E o que fazer em casos de Cyberbullying? Desde logo, manter a calma e avaliar a situação, ignorar um caso isolado pode ajudar a não estimular o agressor. Contudo caso seja persistente deve ser denunciado. Além disso, deve levar as ameaças a sério, recolher e guardar provas, como printscreens ou fotografias, contactar as autoridades competentes, se suspeita de risco de segurança.
Há também instituições como a Associação Portuguesa de Apoio à Vítima (APAV) que dispõem de linhas de apoio específicas para este tipo de casos.
Para mais informações, conteúdos e recursos poderá consultar o website (www.sembullyingsemviolencia.edu.gov.pt/). ■

Nuno Vilas Boas, Teresa Magalhães, Rute Machado e Luísa Preto