O sabor das Beiras na Tasquinha Beirã

0
474
Gazeta das Caldas

IMG_0609Abriu no mês de Abril a Tasquinha Beirã nas Caldas da Rainha, na descida da Praça da Fruta para o largo do Hospital Termal. Este espaço, que abre pelas mãos de Maria Gonçalves, natural da Covilhã, traz comida típica e produtos das Beiras às Caldas da Rainha. “Trazemos queijos, enchidos, pastelaria e alguma gastronomia da nossa zona”, contou Maria Gonçalves.
Depois de quatro anos na área da restauração e de ter ficado desempregada numa idade em que se é “demasiado velho para arranjar trabalho e demasiado novo para a reforma”, a agora empresária decidiu abrir o seu próprio restaurante.
Inicialmente a ideia passava por Lisboa, até porque Maria Gonçalves não conhecia as Caldas. Foi um anúncio na internet que a trouxe até esta cidade. “Depois de ver o anúncio, vim ver o espaço e gostei, tal como da localização. Não conhecia nada aqui!”.
Além disso, quando vieram ver o espaço acharam os caldenses muito simpáticos e prestáveis, o que a levou a decidir que este era o local para a sua primeira aposta empresarial.
Ainda assim, a morosidade dos processos burocráticos não deixou de merecer o reparo da agora empresária, assim como a proibição à publicidade na fachada, por se tratar de uma zona histórica.
A abertura da Tasquinha Beirã traduz-se num investimento que ultrapassa os 15 mil euros, fruto de capitais próprios. Este valor reparte-se entre as remodelações, pagamento do trespasse e compra de equipamento. Foram criados dois postos de trabalho, o da própria Maria Gonçalves e o do seu marido, Edgar Macedo, responsáveis também pela decoração do estabelecimento.
Apesar do restaurante ter capacidade para 80 pessoas, Maria Gonçalves decidiu apostar apenas em 36 lugares sentados, para os clientes poderem estar mais à vontade.
O nome do estabelecimento surge pela naturalidade do casal e pelos produtos que ali disponibilizam. “O nome chama um bocadinho a nós”, disse Maria Gonçalves.
A Tasquinha Beirã localiza-se na Rua da Cruz Nova, nº 12-14 e está aberta, pelo menos até os proprietários conhecerem os hábitos caldenses, todos os dias entre as 7h00 e a 24h00.