Rio Cortiço Lagoa já abriu no Bom Sucesso

0
2091

 

Susana e Pedro Miguel Bastos concretizaram um sonho antigo na semana passada com a abertura do restaurante “Rio Cortiço Lagoa” nos equipamentos de madeira instalados pela Câmara de Óbidos junto à praia do Bom Sucesso.
O casal começou o seu negócio da restauração na praia do Rio Cortiço há 13 anos. “Começou por ser quase uma brincadeira, até porque eu tinha a minha vida profissional noutro local”, contou Pedro Bastos.
Encerradas as instalações no Rio Cortiço, “que já estava a ficar muito pequeno para o que queríamos fazer”, é bem no centro do Bom Sucesso que o projecto conjunto deste casal parte para uma nova etapa.
A inauguração oficial aconteceu no final da tarde de sábado, 3 de Julho, com a presença de amigos e clientes, mas desde a segunda-feira anterior que o espaço estava aberto ao público.
Localizado no Largo do Bom Sucesso, o restaurante tem uma vista privilegiada para a Lagoa de Óbidos, a Foz do Arelho e o Mar, numa conjugação quase mágica.
“Nós não vamos fugir muito da filosofia de funcionamento que tínhamos no Rio Cortiço. O sargo que aqui vierem comer é o mesmo que comiam no Rio Cortiço”, salienta Pedro Bastos
A ementa passa a ser mais composta e variada, com a continuação na aposta forte no peixe grelhado e com muitos produtos da Lagoa de Óbidos. Entre os pratos, os gerentes salientam o robalo ao sal e ao pão, o marisco, as muitas variadas de cataplanas “e mais algumas surpresas”. A carta de vinhos também tem muitos vinhos regionais.
A gerência do restaurante quer continuar a desenvolver as parcerias que tem com os aldeamentos e operadores turísticos de Óbidos, que lhes trazem muita clientela estrangeira.
Embora sejam ambos de Santarém, desde os sete anos que Pedro Bastos passa os verões na casa que os pais têm no Bom Sucesso. “Agora também temos aqui casa e fazemos a nossa vida no Bom Sucesso”, referiu o comerciante.
A única “preocupação” acaba por ser o conhecido “micro-clima” da região, de que têm ouvido muitas queixas dos estrangeiros que aqui vêm passar férias ou jogar golfe.
Depois de um processo conturbado que durou cerca de seis anos até que houvesse autorização da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional de Lisboa e Vale do Tejo, a concessão do restaurante foi finalmente atribuída pela Câmara Municipal.
Segundo a autarquia, a concessão do direito de exploração do equipamento composto por restaurante, apoio de praia e ponto de aluguer de bicicletas, foi feita por um montante inicial de 80 mil euros e uma renda mensal de mil euros.
O restaurante vai estar aberto durante todo o ano, a cozinha funciona das 10h00 às 22h00 e no Verão não encerram em nenhum dia da semana. Está prevista também alguma animação musical, cultural e desportiva.