Evocação histórica da reabilitação da unidade das Caldas da Rainha – Hospital Termal

0
85

Leonor Adrião

Fisioterapeuta-CHO-uCR

Sensibilizar a comunidade para a evocação do caminho da Fisioterapia do CHO–Caldas da Rainha, ao longo de 42 anos, é preservar a sua identidade na comunidade. O regresso ao passado constitui, tal como as mais extravagantes viagens, um exercício que me seduz. Reabrir um velho baú num sótão é daqueles prazeres que gosto de saborear periodicamente. A criação, em 1485, do Hospital Termal das Caldas de Óbidos constitui o melhor exemplo das preocupações com a saúde e assistência naquele tempo e afigura-se como a reabilitação dos tempos atuais.
Com a chegada da Fisioterapeuta Isabel Coelho em 1978 teve início um percurso extraordinário, com um apoio inegável dos médicos de Hidrologia, nomeadamente do seu Diretor Dr. Costa e Silva, na crenocinesioterapia e no internamento hidrológico. O Administrador Hospitalar Dr. Jorge Varanda, grande impulsionador da Fisioterapia desde a sua chegada em 1979, incentivou a vinda das Fisioterapeutas Francisca Nascimento e Teresa Guerra, impulsionando o conceito de reabilitação no Hospital Distrital, passando de um apoio hidrológico para o desenvolvimento da fisioterapia nas enfermarias cirúrgica, ortopédica, medicina interna e pediátrica.
Em maio de 1983 com a chegada de uma médica Fisiatra teve início a consulta externa de MFR, alargando a reabilitação a diferentes concelhos da região Oeste. Desde 1986 que integro esta calorosa equipa, reafirmando que a prática da Fisioterapia requer uma capacidade de julgamento clínico objetivo, baseado na avaliação e planeamento cuidadosos. Assim, foi proposta uma reestruturação sendo criadas fichas tipo de avaliação, ficheiros, manuais de informação ao utente, formação em parceria com diferentes escolas de Fisioterapia, acompanhamento de utentes com aulas de diapositivos responsabilizando-os enquanto elemento crucial na sua recuperação. Em 1994 é inaugurado o 2º ginásio de Fisioterapia no Balneário Novo, permitindo o tratamento de 12 doentes internados no Serviço Medicina Física e Reabilitação. No ano de 2005, devido ao crescimento da Fisioterapia, da Terapia Ocupacional e da Terapia da Fala, inaugurou-se no 2º andar do Hospital Termal, outro ginásio além do Balneário Novo, contando com uma equipa de 32 elementos.
Atualmente encontramo-nos em todo o 2º andar do Hospital Termal, expandindo a nossa atividade com o lançamento de um projeto de Telereabilitação numa parceria entre a Clynx®, o Instituto de Telecomunicações e CHO. A tecnologia permite realizar tratamentos de Fisioterapia num ambiente de videojogos em casa, com acompanhamento em tempo real, promovendo uma experiência digital agradável, motivadora e bem-sucedida. Permite aumentar a capacidade de resposta, diminuir as deslocações, reduzir o número de utentes em circulação, minimizar o risco de infeção cruzada, bem como os custos operacionais institucionais, sociais e potenciar a evolução tecnológica na área da Fisioterapia.
Saliento o conceito de saúde que a Rainha D. Leonor desenvolveu ao englobar o doente nas suas vertentes biopsicossocial e espiritual. Remetendo para este momento de pandemia, esta visão ajuda-nos a enfrentar desafios e a sermos resilientes, acreditando que está em Todos Nós a possibilidade de recuperarmos a Nossa Vida. Preparar o futuro é honrar o passado! ■