Feira de Marroxo dá a conhecer a nova sede da associação Design e Ofícios nos Silos

0
93
A iniciativa vai ganhar regularidade, dando a oportunidade de comprar peças de autor a preços acessíveis | Natacha Narciso

A Associação Design Ofícios e Cultura (ADOC) abriu a nova sede nos Silos com uma Feira do Marroxo, que decorreu nas tardes dos dias 26 e 27 de Setembro. Marroxo “é o que fica, o que sobra, o que não é escolhido”, explicou Eneida Tavares, designer e uma das responsáveis pela associação.
Nesta iniciativa foi possível, a vários autores, vender os trabalhos que “sobraram das produções, que têm pequenos defeitos e que, por isso não passaram no controlo de qualidade”, acrescentou a autora do Estúdio Mulato e que também colocou à venda as suas propostas que unem cerâmica à caruma. Segundo a autora, há muito que a ADOC pensava organizar uma realização deste género, pois há peças com pequenos defeitos “que até são aceitáveis” e que tornam os preços das peças muito mais acessíveis ao público interessado.
Na primeira Feira do Marroxo estiveram à venda propostas de 14 autores e logo no sábado foi possível constatar que há interesse pelo evento, pois não faltaram compradores e coleccionadores, alguns até de fora da região, interessados nas peças de projectos, de autores que vivem e trabalham nas Caldas.
À venda estiveram peças do Estúdio Caldas (que aposta em reedições de peças da Secla), da Malga (cerâmica de autores formados na ESAD que têm atelier em Lisboa), da Vícara, de Vítor Reis, de Jorge Carreira, Fernando Travassos (desenhos e fanzines) e ilustrações de João Marcão e de Joana Gomes. João Margarido, Constança Bettencourt, Samuel Reis, de Eneida Tavares e de Vítor Agostinho. Nas próximas edições “queremos convidar outros autores para ter propostas diferentes”, afirmou a designer.
A nova sede da ADOC possui áreas dedicadas às madeiras e outra à cerâmica onde trabalham respectivamente Vitor Agostinho e Samuel Reis. “Estamos agora a definir como serão as regras de utilização e como será prestado apoio aos interessados em vir trabalhar connosco”, explicou a autora que quer garantir a segurança de todos os participantes que queiram participar nos futuros workshops da ADOC. O espaço tem uma área destinada a reuniões e conferências.
Entretanto, a associação pretende retomar o ciclo de conferências “Duas Doses” e vai voltar a contactar os convidados para reagendar as apresentações e debates, agora para a nova sede no R/C nº 1 dos Silos.
“Temos várias ideias na calha”, disse a autora enquanto mostra que a nova sede, além da maquinaria que se destina à produção de peças, também possui equipamentos como um forno a lenha.
Este foi testado na abertura da sede e os visitantes podiam comprar fatias de pizza confeccionadas no local.
“A comida é sempre pretexto para nos reunirmos!”, comentou a designer da ADOC, uma associação que nasceu em 2018 pela acção de um conjunto de autores com vontade de criar uma estrutura capaz de valorizar, promover e divulgar práticas ligadas ao Design, aos Ofícios e a outras acções de enriquecimento cultural.