CDS/CALDAS

0
940

Propostas para a cidade

São atribuídas às Juntas de Freguesia várias competências, entre elas o desenvolvimento e o planeamento.
O CDS considera relevante voltar a questionar o executivo desta Junta sobre a contratação dum profissional influenciador de mercado, que possa gerir a plataforma digital, de forma a rentabilizar as várias ofertas que a Junta tem para os seus fregueses e a oferta turística para o exterior. (…)

A propósito de património desta freguesia, importa questionar por exemplo, qual a garantia que a Junta de Freguesia tem relativamente à abertura do Hospital Termal, após sucessivos adiamentos anunciados pelo Sr. Presidente da Câmara.
É que a Junta, não só é parte diretamente interessada, como é ela própria gestora do Parque e da Mata, dois espaços diretamente relacionados com o termalismo. A este propósito, não podemos deixar de interrogar o executivo da Junta, se acredita e se sente confortável, com a solução de entrega da gestão do complexo termal ao Montepio, recentemente anunciada, quebrando desta forma a unicidade do Património.
Pelo exemplo que a Junta tem dado na gestão do Parque e da Mata e pela demora da Câmara em encontrar uma solução credível, é caso para questionarmos mesmo se não teria sido preferível, ser a Junta de Freguesia a assumir uma solução, que provavelmente há muito teria sido encontrada.
A divulgação deve ir ao encontro do novo estilo de vida dos cidadãos que se concentra quase na totalidade na busca através da internet. Consultámos a Bloom Consulting, procurando assim uma ferramenta isenta de influências exteriores de forma a dar credibilidade e transparência à nossa visão para o desenvolvimento da freguesia.
A Bloom Consulting, é o único estudo publicado nesta área que recorre única e exclusivamente a dados quantitativos não dando margem a interpretações ou input humano que tenha influência nas classificações. (…)
O aumento da performance online tem tido na nossa zona apenas um crescimento de 15,3%, contudo o aumento da procura, por temas, não pára de disparar em outras zonas do país, tendo tido, só nestes últimos meses, um pico de 40%. Isto revela que o tempo de férias foi preparado atempadamente em ordem a chegar de forma atrativa mais longe, e consequentemente a mais pessoas. (…)
Todos os dias várias freguesias crescem e mostram-se ao mundo usando as ferramentas que as novas tecnologias propiciam, que não só nos levam mais longe como até são mais baratas.
O CDS verificou que os Brand tags, ou os tópicos que apresentam maior subida e maior procura são: o Surf (com um acréscimo de 99%), a gastronomia (com uma subida de 73%) e as praias (numa taxa de 70%).
Esta informação interessa-nos de sobremaneira, já que nos dá a indicação de qual é o nosso público alvo e qual o factor que poderemos trabalhar.
Dado que a nossa freguesia não tem nem praia, nem surf, resta-nos algo que temos e que temos com nobreza – além do património, a gastronomia e a doçaria.
A nossa freguesia tem uma gastronomia e uma doçaria de elevada qualidade que nunca foi motivo de estudo. Há, também aqui, um grande trabalho a fazer. Mas não podemos demorar muito tempo, não podemos arrastar “ad eternum” este estudo.
Quando falamos de gastronomia, não falamos de tasquinhas, falamos de um turismo de qualidade que permita o desenvolvimento do comércio tradicional, que já foi forte e que se pretende que volte a ser.
Se pensarmos um pouco, colocando-nos questões pertinentes, podemos verificar que o que leva muitos turistas a diversas partes do globo é a gastronomia.
Olhemos à nossa volta: Óbidos e Alcobaça
Olhemos para nós: Que temos?
As tasquinhas! Mas as tasquinhas não trazem turistas de fora, movimentam as freguesias e pouco mais. Sendo que os clientes das tasquinhas não compram no comércio local, afastam os clientes dos restaurantes e das pastelarias.
Precisamos de outro tipo de turismo gastronómico que tenha por base o nosso arroz de pato, as nossas trouxas, as nossas Leonores, a nossa água chalada… e muito muito poderia enumerar.
Não é normal (é quase ridículo) que a maioria dos caldenses não conheçam as Leonores, ou a Arrelia, doces apenas feitos nas Caldas da Rainha e que são deliciosos.
O CDS gostaria de ver nascer na nossa cidade um evento, bem divulgado (e para isso precisamos dos influenciadores de mercado), de gastronomia e doçaria caldense com base na nossa tradição histórica. Um evento com a nobreza, com a qualidade e com a elevação que nos traduz realmente. (…)

Margarida Varela
(Membro da Assembleia de Freguesia da União de Freguesia de Nª Sra. do Pópulo, Coto e S. Gregório)