Notas urbanas

0
84

Luiz Rolim
engenheiro civil

Desviando a minha atenção dos casos citadinos, gostaria de lançar o meu olhar para a Foz do Arelho e Lagoa de Óbidos, tendo em conta a época estival e de veraneio que se avizinha. Todos sabemos e apreciamos, o quão agradável é o conjunto citado, quer pela sua luminosidade, quer pela naturalidade e pacatez ao longo de todo o ano.
O caminho pedonal com ligação ao braço da Barrosa, bastas vezes a necessitar de limpeza e conservação, confere uma enorme qualidade aos que apreciam as caminhadas em contacto com a natureza e aqui podem desfrutar, ao longo de todo o ano. Prova disso estão as excelentes fotografias que nos são presenteadas nas redes e grupos sociais.
Numa perspetiva de nova normalidade, brevemente terá início mais uma época balnear nas estimadas e galardoadas praias da Foz do Arelho. Presumo que o planeamento para as zonas mais requeridas e apreciadas, normalmente as praias do Mar, Aberta e Lagoa, esteja em franco progresso, desenvolvimento e execução.
Gostaria de apontar, por comparação com anos anteriores, para a necessidade de colocação atempada de passadeiras (estrados), por onde os utentes possam caminhar com redistribuição ao longo das suas frentes.
Ligar a zona dos balneários à “Aberta”, com derivações espaçadas, promovendo a distribuição dos banhistas ao longo da frente de mar, desde a zona das “Rochas”. Tratar-se-ia de um investimento a longo prazo visto que as peças seriam removidas e armazenadas quando não necessárias. Uma pequena obra em cada ano, sem desvirtuar as características do espaço, sem grandes modernidades onerosas e que agradariam seriamente aos utentes.
Por outro lado, parece-me estranho que o premiado e apreciado “passadiço” nunca tenha sido concluído, especialmente na sua relação com o arruamento principal e seu acesso à praia do “Mar”, incluindo as zonas de miradouro com entrada para viaturas. Não esqueçamos que foi das primeiras intervenções nacionais do género e ainda está por terminar, há vários anos.
Quanto ao parqueamento das autocaravanas evolui, rapidamente, para as condições do antigo parque de campismo (amontoado de tendas) que, em boa decisão na época, foi removido e implantado em local mais apropriado e dotado de qualidade.
Poder viajar em autocaravana, usufruindo de liberdade, tem muito adeptos e seguramente outros se juntarão a breve trecho. As condições básicas existentes no local actual, áreas de despejo, pontos de energia eléctrica, rede de água potável, deverão ser complementadas com enquadramento, organização do espaço, lotação definida, gestão e algum cuidado no aspecto visual, integrando os comércios sazonais e a própria portaria.
Toda esta zona merece a atenção da edilidade. A nossa praia terá de ser mais atrativa e natural, de modo a preencher o que dela sempre se imaginou, acreditou e exige. ■