Requalificado e inaugurado o Largo dos Peais no Reguengo da Parada

0
1095
Inauguração
Arnaldo Custódio e Tinta Ferreira protagonizaram o momento da inauguração - Isaque Vicente

O largo dos Peais, no Reguengo da Parada, foi requalificado numa obra que custou 16 mil euros (mais 9 mil euros para compra dos terrenos). A inauguração decorreu na tarde do passado domingo, 13 de Maio, numa festa que reuniu grande parte da população da aldeia. Foi também inaugurado um painel de azulejos que retrata as tradições antigas.
No largo existiu em tempos uma taberna. Segundo Joaquim Foz, que fez um enquadramento daquele lugar, o largo, onde a taberna e os peais foram e são “a grande fonte de transmissão de memórias entre as várias gerações” da aldeia.
“Por vezes o excesso de consumo de álcool, associado a alguma analfabetismo, fazia recair sobre a taberna um certo estigma de miséria, embriaguez e até de alguma desordem”, fez notar no seu discurso, salientando, por outro lado, o entusiasmo dos jogos de cartas e os momentos de convívio. Mas a taberna, que era um local exclusivo para os homens, era mais do que um sítio para beber copos: era um local de negócios, onde se contratava mão de obra para a lavoura.
Joaquim Foz também recordou os jogos tradicionais no largo, como a malha, o salta-cavalo, berlindes, peões ou “o futebol com duas pedras a fazer de baliza”. E as conversas pela noite fora sentados nos Peais? E os encontros de mascarados no Entrudo? As fogueiras de Natal e Ano Novo? Os Santos e todos os outros dias festivos? Tudo se realizava ali.
Era também no largo que “os rapazes esperavam que as raparigas fossem à fonte para as interpelar e meter uma conversa de ocasião para tentarem futuro namorico”.
Agora o largo tem calçada portuguesa com as velas de moinho, num projecto da autoria da arquitecta Filipa Oliveira. Além disso há um painel de azulejos que retrata as tradições no próprio largo e que foi feito pela Olaria Brito e pelo pintor Acrísio.
Arnaldo Custódio, presidente da União de Freguesias de Tornada e Salir do Porto, recordou que esta foi uma “obra que se iniciou no mandato anterior com a aquisição das casas velhas” e que é um local “para reviver o passado no presente”.
Já Tinta Ferreira, presidente da Câmara das Caldas, salientou que o largo, tal como estava anteriormente, limitava a visibilidade das viaturas. A autarquia comprou os terrenos e cedeu-os à União de Freguesias, além de custear metade da obra de requalificação.

Largo dos Peais no Reguengo da Parada
O largo ocupa o espaço onde estavam casas degradadas que foram demolidas – Isaque Vicente