A Endermoterapia

0
1984

IMG_7309_rHISTÓRIA
A endermoterapia, também denominada por vacuoterapia, teve a sua origem em França em 1970. Louis Paul Guitay, o seu criador, sofreu queimaduras em grande parte do seu corpo e de forma a não ter de passar tanto tempo do dia em sessões de fisioterapia, resolveu criar um aparelho que substituísse eficazmente as mãos do fisioterapeuta. Após vários protótipos, o modelo final dependia da acção de dois rolos móveis que associado à sucção por vácuo promovia uma massagem nos tecidos. Essa técnica era inicialmente aplicada apenas a pacientes queimados, no entanto com as várias sessões foi observada também uma melhoria na aparência da pele, que ficava mais lisa, e uma redução da celulite e da gordura localizada dos pacientes. Deste modo, e com as necessárias alterações este aparelho começou a ser usado também para tratamentos estéticos.

MÉTODO
A endermoterapia /vacuoterapia é assim um tratamento estético, realizado por meio de um aparelho composto por um manípulo com 2 rolos que deslizam sobre a pele, produzindo um efeito de sucção e rolamento, havendo o efeito de uma massagem profunda na pele. Tendo como ponto forte o facto de ser totalmente natural, não estando associado a nenhuma intervenção cirúrgica, nem sendo composto por substâncias químicas.
No entanto, este tratamento não corresponde a uma simples massagem. A técnica de endermoterapia estimula a circulação local, favorece o funcionamento do sistema venoso e linfático, ou seja, proporciona uma drenagem linfática, aliviando as retenções de líquidos no corpo, combatendo o inchaço e eliminando as toxinas. Além disso, auxilia na redução da gordura localizada, pois o aparelho atinge as camadas mais profundas da pele, ajuda a moldar o corpo, fazendo ainda uma esfoliação à pele, trazendo um aspecto rejuvenescedor e um brilho natural. A endermoterapia (com recurso a leds) é ainda mais eficaz porque estimula a produção de colagénio (substância responsável pela elasticidade da pele), diminuindo consequentemente a flacidez da pele.
Os resultados que advêm das várias sessões de endermoterapia/vacuoterapia são fruto de:
Diminuição da tensão muscular (relaxamento muscular);
Aumento da circulação sanguínea nos tecidos, melhorando o funcionamento dos sistemas venoso e linfático (uma espécie de “drenagem linfática”);
Melhoria do aspecto da celulite (destruindo nódulos)
Destruição das células de gordura;
Aumento da oxigenação dos tecidos;
Eliminação das toxinas do organismo;
Estimulação da drenagem linfática;
Produção de colagénio (conferindo elasticidade à pele);
Tonificação e diminuição da flacidez da pele;
Diminuição da retenção de líquidos, combatendo o inchaço (diminuição de edemas)
Pele lisa e rejuvenescida, com mais tônus e elasticidade
A endermoterapia é ainda uma importante ferramenta na conjuntura pós-parto, pois nesta fase a mulher encontra-se a readaptar-se às mudanças que o seu corpo sofreu, de forma a modela-lo novamente, ajudando o corpo a drenar, e a reduzir pequenas diferenças ocorridas com a gravidez. É igualmente recomendado para situações de pré e pós-operatório da lipoaspiração.

CONTRAINDICAÇÕES
No que concerne a contra-indicações, a endermoterapia não está indicada para tratamento de problemas circulatórios graves (como varizes e flebites), nem deverá realizado em mulheres grávidas ou em pessoas com historial recente de doenças oncológicas ou portadores de bypass. A endermoterapia está ainda contra-indicada para indivíduos com lesões na pele, como bolhas, inflamações ou descamação da pele, obesos, com diabetes, reumatismo, hipertensão ou doenças do coração. Não estando enquadrado em nenhuma destas situações qualquer outro individuo poderá efectuar tratamentos de endermoterapia.

Catarina Cunha
Centro Beauty Space