Crónica Tauromáquica | Caldas da Rainha,15 de Agosto, cumpriu-se uma vez mais a tradição!

0
1028
Rui Lopes

Comemoraram-se 135 anos sem interrupção, da corrida mais antiga a realizar-se regularmente em Portugal! Boa organização de Rafael Vilhais e um concurso de ganadarias que resultou, com a praça cheia de público entusiasta.
O toiro, de Prudêncio, 620 Kg, negro, com trapio, uma estampa (prémio de apresentação) revelou-se reservado com tendência para manso. António Telles deu-lhe a lide adequada, escolha criteriosa de terrenos, provocação pela voz, ferros emotivos sobretudo a cesgo e em curto. Os mansos têm lide e António é maestro. Pega pelos forcados de Santarém António Taurino, bem a citar, recuar e reunir com o grupo a completar com segurança, sem dificuldades maiores.

O de Veiga Teixeira, bonito negro de 625Kg, alegre e nobre tinha uma córnea um pouco fechada. Filipe Gonçalves tirou partido da qualidade do toiro, lidou vistoso e acertado, com ferros emotivos, com batida e verdade toureira de agrado popular. Francisco Mascarenhas, pelos forcados de Caldas da Rainha, conseguiu, pleno de força, técnica e vontade, uma pega emotiva que levantou a praça (talvez a pega da tarde) a aguentar violentos derrotes e o grupo a ajudar bem.
O de Diego Ventura, 510Kg negro, alto de agulhas, alegre e codicioso tinha problemas de visão. Francisco Palha esteve bem perante a dificuldade do toiro vir à voz sem ver bem o cavalo. O ginete lidou-o e deixou a ferragem na medida do que foi possível . Pegou pelos de Santarém Francisco Montoya bem com o toiro a sair à voz, devagar à procura, entregando-se sem luta.
O de David Ribeiro Telles, negro de 540kg, revelou-se reservado, investido pela certa (ganhou o prémio de bravura). António Telles esteve a gosto numa lição de toureio. Deixou seis curtos em crescendo, de frente marcando o centro da sorte e cravando do alto para baixo com o braço bem levantado. Um triunfo com verdade toureira. Lourenço Palha, pelos das Caldas viu o toiro arrancar-se com pata num inesperado derrote alto que o projetou violentamente. Na segunda tentativa recuou mais mas diminuído não teve forças para ficar. Voltou à terceira determinado e o grupo subiu coeso concretizando.
O sobrero de David Ribeiro Telles (extra concurso) um lindo castanho de 540Kg, alegre e bravo (o melhor da tarde) permitiu a Filipe Gonçalves uma lide de triunfo popular com inegável mérito dando prioridade ao toiro e aguentando barbaridades, com ferros de qualidade. Lourenço Ribeiro de Santarém esteve bem a citar, recuar e fechar-se com braços de ferro aguentando violentos derrotes com o grupo a ajudar como conseguiu.
O de Fernandes de Castro, 500 kg bonito, matreiro e brigão viu Francisco Palha com serenidade estar bem num toureio bonito e emotivo. De praça a praça com prioridade ao toiro, deixou uma série de ferros que culminaram com duas rosas e dois palmitos, entusiasmando o redondel. Pegou por Caldas o veterano Francisco Rebelo de Andrade com o toiro a não querer arrancar e quando o fez defendeu-se com violência lesionando-o. Na dobra pegou-o Mário Cardeira também combalido, à terceira com muito querer e o grupo a ajudar em bloco, o toiro sempre a não arrancar defendendo-se violentamente.
[email protected]