Escola Digital

0
69

Maria do Céu Santos
professora

A Escola não pode alhear-se do mundo que a rodeia, hoje dominado pela tecnologia digital, pela conectividade global sem limites, onde se integram os seus alunos, sujeitos diariamente a um dilúvio de informação com o qual vai ter de competir.
A era digital entrou, definitivamente, na Escola. A crise pandémica limitou-se a acelerar o processo.
O investimento previsto para o programa Escola Digital, com recurso a fundos comunitários, cifra-se no total de 400 milhões de euros, cumprindo-se de forma faseada, tendo como objetivo 335 mil computadores, alcançando todos os alunos e docentes da Escola Pública.
Acresce, em complemento deste programa, a aquisição de 15 mil computadores, que vão somar-se aos 100 mil kits já distribuídos às Escolas no 1.º período letivo, sendo cada um composto por um computador portátil, auscultadores com microfone, uma mochila, um hotspot e um cartão SIM, garantindo a conetividade a partir de qualquer ponto do país.
Para o efeito, foram abertas quatro linhas de financiamento do programa Portugal 2020, no valor de 14 milhões de euros, que permitem aos municípios adquirir equipamentos informáticos, complementando o trabalho de dotação de equipamentos e conetividade no âmbito da Escola Digital.
A prioridade de fornecimento dos primeiros equipamentos são os alunos abrangidos por apoios no âmbito da Ação Social Escolar, tendo os computadores tipologia diferenciada por ciclo de ensino e acesso à internet por banda larga móvel.
No AE Bordalo Pinheiro já foram entregues os equipamentos a todos os alunos do ensino secundário com escalão A e B no total de 194 equipamentos. 108 alunos dispensaram os equipamentos, dando assim a possibilidade de entregar a outros alunos dentro do escalão prioritário.
Ergue-se assim mais um desafio para os professores, sobretudo os que se mantiveram à margem da revolução digital. Mas, como sempre, não deixarão de estar à altura.
Permito-me hoje, na despedida, falar da minha Escola, a Bordalo Pinheiro, uma referência gratificante para sucessivas gerações que anualmente se reúnem num almoço comemorativo para celebrar o que têm em comum.
Já agora conto-vos uma pequena história, daquelas com que se constrói a unidade das gerações Bordalo Pinheiro.

Assim me despeço,

grata à Gazeta que me abriu

as suas páginas, e aos colegas,

alunos e funcionários

O João, agora no 12.º ano, quando era aluno da escola do 1º ciclo, colheu no recreio umas sementes de Jacarandá. Semeou-as em vasos, deixou-as crescer com a passagem dos anos, e durante esta semana plantou-as no recinto da nossa Escola.
E assim me despeço, grata à Gazeta que me abriu as suas páginas, e aos colegas, alunos e funcionários que todos os dias me proporcionam novas aprendizagens e reflexões, algumas das quais partilhei neste espaço. ■