Montepio, extinção ou refundação ?

0
63

Nuno Ribeiro
candidato pela lista B

Nasci no Montepio há 50 anos, sendo sócio desde tal data.
Era um privilégio, que devo ao meu Pai, que, outrora, fez parte dos órgãos da instituição.
O Montepio abraçou com todo o conforto e assistência possível, a minha irmã gémea nos seus últimos dias.
O Sr. Dr. António Alfredo, meu padrinho de batismo, foi uma referência na história da Instituição pelo seu labor gratuito e abnegado, dedicando grande parte da sua vida à obra do Montepio.
Cresci sob os cuidados de saúde da Instituição, na altura de excelência, que nos permitiam o conforto, e a distância às amarguras e inconvenientes do serviço público da época.
O Montepio marcou-me, e marcou a minha geração nas Caldas da Rainha, o Montepio marca-me agora, e perturba-me, por não ser opção para os caldenses, por prestar um arcaico serviço de saúde, em instalações velhas, exíguas e inadequadas, e ser frequentemente ultrapassado por qualquer instituição de qualidade mínima, por uma gestão da mesma com resultados líquidos negativos, por se ter abandonado a Casa de Saúde, confiando que uma futura parceria tudo mudará, e suprirá as insuficiências e mediocridades estratégicas exibidas nos últimos três anos.
Por tal, não podia recusar o honroso convite que me foi formulado pelo Dr. Francisco Rita, médico de percurso profissional intocável e vasto, com obra reconhecida e efetiva na região Oeste e em especial no Montepio, para integrar a Lista B, como candidato a secretário da Assembleia Geral, e poder contribuir com o meu melhor, para a maior transformação a operar na Instituição desde a sua fundação: Construir um Novo Montepio.
Construir um Novo Montepio que seja a primeira escolha dos Caldenses, e o orgulho dos associados,
Construir um novo Montepio, com a urgente e prioritária edificação do Novo Hospital, através de parceria sólida, de vanguarda, e maturidade comprovada no setor em Portugal,
Uma parceria para um novo hospital a edificar no edifício da EDP, pode ser tudo ou nada,, mas, provavelmente, consubstanciará uma sociedade comercial, em que a associação mutualista pode ter a maioria, a minoria, ou um digito de capital social…
Pode ser a refundação do projeto mutualista com 160 anos, uma mera evolução de um modelo gasto em que se secundariza o Montepio, ou, a extinção da associação tal como foi criada…
Contra isto aqui estamos, aqui estou, e lutarei à luz dos estatutos e da Lei.
Em 19 de agosto de 2020, o Conselho Geral não concordou, criticou severamente, e bloqueou um projeto de parceria para a construção do novo Hospital, apresentado pelo atual Conselho de Administração.
Agora, em propaganda eleitoral, foi anunciada uma parceria para a construção do novo hospital, pela lista A, sem prévia deliberação e informação aos associados do seu conteúdo, da estratégia subjacente, apenas negociada e decidida no gabinete da administração.
Connosco, com a Lista B, tal nunca acontecerá, Refundaremos o NOVO MONTEPIO com os Associados e para os Associados! ■