A Semana do Zé Povinho | 04.Fev.2021

0
25

A situação pandémica no Oeste, depois de ter vivido meses numa quase calmaria, piorou, a partir do final do ano passado, na maioria dos concelhos. Em Torres Vedras o problema foi mais acentuado, especialmente pelo facto da própria unidade hospitalar ter sido onde se propagaram vários surtos, levando a que neste momento estejam ausentes do serviço 134 profissionais por infeção ou isolamento profilático. Isso levou o presidente da Câmara a colocar a necessidade de o país ativar um pedido de ajuda internacional, ainda quando publicamente as autoridades nacionais não a consideravam necessária (situação que se inverteu numa semana). De forma solidária e responsável, o Dr. Tinta Ferreira manifestou solidariedade com Torres, atitude, certamente, sábia para, no médio prazo, ajudar a entendimentos importantes na resolução da falta de instalação hospitalares do SNS e. especialmente, de Serviços de Cuidados Intensivos. ■

 

A pandemia tem transformado o quotidiano dos portugueses e da grande maioria dos habitantes dos restantes países.Mas alguns portugueses, quando em situações de privilégio, em que podem distribuir prebendas pela família, amigos, camaradas ou colegas de partido e vizinhos, tendem a aproveitar-se, como Zé Povinho viu nalguns pontos do país com a aplicação das vacinas. Sabem os portugueses que desta vez haverá vacinas para todos, garantidas pela União Europeia, mas traficar as prioridades com base nas sobras, parece ter sido uma modalidade ensaiada no início da campanha por chicos-espertos. Para já o valor das “facilidades” é pequeno e é mais de oportunidade, mas agora preparem-se para quando chegar a “bazuca” dos fundos europeus. Esperemos que nesse momento Portugal não vá conhecer “aqueles verdadeiros” amigos do seu amigo. ■