Vamos salvar a Gruta do Pego

0
33

Li com muito agrado a vossa publicação, de 07 de Agosto de 2020, sobre a descrição da freguesia de Alvorninha.
A todos os que participaram e colaboraram um BEM HAJAM. Trabalhos desta natureza regional trazem até nós um pedaço do nosso passado vivido nas nossas inúmeras e pitorescas aldeias.
Reviver um pouco do nosso passado até nos dá mais energia para enfrentarmos o presente e prepararmos o futuro.
Em matéria de monumentos tenho pena que nada se tenha dito relativamente às “relíquias” do que foram os velhos chafarizes e à chamada Gruta do Pego.
Existe uma pista, a Associação “ANDAR” tem à venda uma obra (“Notas para a História da Ramalhosa e arredores – da Feteira ao Pego”).
À Ponte Romana e ao típico moinho de madeira das Boisias poderemos adicionar a Gruta do Pego. Verdadeiro marco histórico a testemunhar a saída da ocupação árabe da islâmica colónia que foi Almofala.
A tradição oral de muitas pessoas, incluindo a minha própria mãe, contava que existiu uma Mina (Gruta) no Pego, a dois passos de Almofala, onde viveu uma Moura (Muçulmana) que tinha a viver com ela alguma crianças. Para alimentar estas, a moura vinha pedir leite na vizinhança cristã. Mas, um certo dia, a moura desapareceu, sem deixar rasto ou notícias.
A leitura desta narrativa é fácil: a Gruta não passaria de um refúgio subterrâneo, ou até túnel, para esconderijo dos muçulmanos, em caso de razias e ataques da reconquista cristã.
A queda da forte praça militar muçulmana de Santarém levou a grande avanço das forças cristãs, que foram empurrando os mouros para Sul e a estes não restava outra saída que não fosse a fuga para salvarem as vidas. Os homens iam combater e as mulheres e as crianças procuravam abrigos em túneis e grutas.
A Gruta do Pego não está estudada. Sabemos que a colónia agrícola muçulmana de Almofala desapareceu e a reconquista cristã consolidou-se nesta região.
É um desafio tentar recuperar a Gruta do Pego. Apesar de já ter idade avançada, e pouca saúde, ainda estou disponível e com energia para participar em qualquer trabalho que vise saber tudo sobre a velhíssima Gruta do Pego.
Vamos salvar a Gruta do Pego.

J. Daniel Santos